OpenSIPS Summit 2013

Olá Amigos,

Venho aqui compartilhar a experiência de ter participado do OpenSIPS Summit 2013 , vou documentar aqui minha experiência baseado na ordem das apresentações, eu filmei todas as apresentações da forma que foi possível (utilizando minha camera fotografica e meu celular) e os videos serão postados diretamente no site do OpenSIPS, assim que os mesmos forem concluídos eu acrescento o link neste post. , os videos estão no endereço http://www.youtube.com/watch?v=WmH3JVa6El4  , votos estão disponiveis no flicker no endereço http://www.flickr.com/photos/100269984@N02/   e as apresentações estão no site do OpenSIPS http://www.opensips.org/Community/Summit-2013Chicago-Schedule

A primeira apresentação foi a do Bogdan, a apresentação começou falando do projeto opensips em si Bogdan Opensips Summit 2013falou bastante do projeto OpenSips , de como as coisas deverão aconter no futuro , dentre isso a disponibilização de versões LTS do OpenSIPS garantindo assim até 3 anos de atualização na versão em questão, foi explicado que atualmente a versão LTS é a 1.8 e que a 1.10 não foi escolhida como LTS devido a algumas features que a equipe quer implementar na próxima LTS e que ainda não estava 100% para a versão 1.9.

Outra feature interessante que foi apresentada foi a BII , trata-se de uma interface binária, independente de banco de dados para permitir a replicação de dados do OpenSIPS entre diferentes instancias permitindo assim a criação de soluções mais rápidas e robustas para failover .

Também foi falado sobre o novo módulo de transcoding para placas SANGOMA para permitir que o OpenSIPS faça o transcoding diretamente sem depender de uma terceira solução, oque neste caso eu acredito ser um fator interessante é que você pode ter várias instancias fazendo o transcoding e você pode balancear o trafego de acordo com a necessidade, estes foram apenas alguns dos pontos tratados para conferir na integra aguarde a publicação dos videos.

 

A segunda apresentação foi de Ali Pey, basicamente o mesmo fez questão de mostrar as vantagens do OpenSIPS em várias áreas diferentes, principalmente a utilização para criação de ambientes seguros e redundantes além da flexibilibade do OpenSIPS de forma geral.

 

Norman Brandinger 1

 

A terceira apresentação foi de Norman Brandinger , basicamente foi falado de solução de alta disponibilidade  , foram tratadas várias opções de failover incluindo a utilização de DNS para isso utilizando registro SRV e NAPTR , e softwares como heartbeat , vrrpd e outros para realizar alteração de endereçamento ip de um servidor master para um servidor slave.

 

 

Na sequência (na verdade após uma pausa para o almoço) tivemos a apresentação de Vlad Paiu, a apresentação foi bastante interessante , basicamente falando de desempenho e escalabilidade.Vlad Paiu

Como exemplo foi citado a opção da nova interface BII para realizar a replicação de dialogs para failover, também foi feita referencia sobre a utilização de noSQL como ferramenta para ganho de performance para algumas funções, foram exibidos também exemplos de configuração e algumas questões pertinentes ao assunto como tempo para carregar os dialogs de acordo com a quantidade de dialogs existentes no momento onde a convergencia é necessária, também foi falado a respeito de escalabilidade usando UDP e TCP (menos escalável), além das melhorias feitas no tratamento de SIP sobre TCP para a versão 1.10

 

Em continuação vimos a apresentação Ricard Revels Richard Revelso qual deu vários exemplos referentes a utilização de protocolos de SNMP para coleta de informações e geração de estatisticas além da utilização de servidores de log remoto (syslog) para receber diferentes informações evitando assim flood de informações no disco quando você tem grande volume de chamadas simultaneas, oque neste caso influencia diretamente com o desempenho do sistema além é claro da escalabilidade do mesmo.

Na sequência das apresentações foi a vez de Alex Goulis , a apresentação do mesmo foi referente a formas de validação de CLI-NAMES (Nome apresentado junto ao callerid, função de uso comum nos estados unidos), baseado na solução que o mesmo apresenta eles possuem capacidade para fazer a verificação se o nome apresentado em uma chamada realmente trata-se da origem em questão, para algumas empresas isso pode ser um fator importante pois eles vinculam Alex Goulisdados cadastrais aos telefones de origem ou ao nome apresentado, e neste caso é possivel optar por receber ou não a chamada em questão, infelizmente aqui no Brasil isso não é algo que podemos usar como referência pois primeiramente apenas os celulares vem com opção de exibição de CALLERID por padrão (BINA) , e no caso de telefone fixo é uma informação que o cliente tem que pagar extra para ter (na maioria dos casos) além doque o nome do assinante não está atrelado na chamada, aqui nós utilizamos apenas o número como referência e não o nome, mas realmente para alguns perfis de empresa seria bem interessante no intuito de tentar certificar-se que a origem realmente é a origem, claro que isso não é 100% garantido ja que o nome poderia ser fraudado mas trata-se de uma opção extra para validação de uma chamada.

 

Por último tivemos a apresentação de nosso conterrâneo Flavio Gonçalves da SIPPulse / Voffice , que fez uma apresentação baseado na experiência do mesmo na criação de uma solução a qual o OpenSIPS não foi projeto para fazer que é atuar como um PABX, efetuando todos os procedimentos como chamada em espera , transferencia de chamdas e conferencia, básicamente todas estas funcionalidades são possíveis serem implementadas, porém é necessário uma homologação da solução como um todo incluindo os endpoints que serão utilizados , pois você corre o risco de ter comportamentos diferentes em implementações de fabricantes diferentes, obviamente não se trata de uma solução simples porém a mesma garante um sistema multi dominio de alto desempenho e apesar do trabalho é uma solução possivel e altamente viável.

 

Para finalizar após todas as apresentações foi aberto para duvidas / discussões, bom, basicamente ficamos uma hora debatendo a respeito de questões como dificuldade de se aprender opensips e como fazer para tornar esta solução menos complicada, a reclamação da maioria das pessoas é referente a documentação e de como se achar resposta para determinadas coisas, uma das coisas ditas é que muitas das soluções estão lá, principalmente no arquivo da lista de email ( http://lists.opensips.org/cgi-bin/mailman/listinfo/users ) porém não é tão simples encontrar as informações na mesma ja que depende de muita pesquisa , para esta questão foi aberta a possibilidade de se criar um F.A.Q com algumas questões que são muito repetitivas .

Outra questão abordada foi a questão de howtos e outros documentos que mostrem exemplos práticos e concretos de implementações de OpenSIPS , para esta questão foi informado pelo Bogdan que o site é um wiki, qualquer um pode criar uma conta e então fazer sua contribuição para documentação, também foi falado que por mais que não existam tantas referências assim disponiveis você tem os Ebootcamp , o Livro de OpenSIPS de autoria do Flavio , o site, a lista de email e outras ferramentas.

Eu como forma de contribuição usei como exemplo o projeto apache, você não tem no site do apache grandes exemplos de como fazer as coisas, você tem uma documentação de funções assim como no caso do OpenSIPS , e que quem constrói  os exemplos são a comunidade, no momento que você aprende uma nova funcionalidade cabe a você compartilhar ou não esta informação, como foi dito na discussão, alguém se presta a perguntar, outro alguém se presta a responder, só falta alguém publicar em algum lugar, como exemplo falei sobre oque estamos fazendo aqui no Brasil criando o projeto OpenSIPS Brasil na finalidade de criar uma comunidade, gerar documentação e trazer mais pessoas para o OpenSIPS possbilitando assim um maior compartilhamento do conhecimento por parte de todos e transferencia disso através de posts em BLOG’s Wiki e outras ferramentas mais.

Como resumo nesta discussão ficou a questão de que querer usar OpenSIPS não é uma tarefa facil, é necessário ler muita coisa, realizar muitos testes e entender de forma profunda como as coisas funcionam, mas que tudo isso é necessário pois é isso que faz o sistema ser flexivel.

É isso, acredito que o evento foi bastante positivo, tive a oportunidade de conhecer grandes pessoas e também de falar mesmo que de forma rapida do projeto OpenSIPS Brasil.

 

Tagged with: ,
Posted in Notícias